Paracelso

Em 1534 o médico, filósofo e alquimista suíço Paracelso livrou da peste vários habitantes de Stertzing com uma pílula de miolo de pão inoculada com uma quantidade infinitesimal das fezes do próprio paciente. Cientista inovador e criativo, revolucionou a medicina de seu tempo ao antecipar a homeopatia e o uso da química no tratamento médico.

Philippus Aureolus Theophrastus Bombast von Hohenheim nasceu em Einsiedeln, no cantão de Schwyz, entre 10 e 14 de novembro de 1493. Formou-se em medicina em Viena, doutorou-se em Ferrara e adotou o nome de Paracelso, que significa "superior a Celso" (Aulo Cornélio Celso, famoso médico romano do século I). Em 1530 fez a melhor descrição até então registrada da sífilis e assegurou que a doença podia ser curada com doses de mercúrio. Em 1536 publicou o Die grosse Wundartzney (Grande tratado de cirurgia), que lhe trouxe fama e riqueza. Descobriu que a doença dos mineiros era silicose e não castigo divino, como se acreditava, e enunciou alguns dos princípios que seriam resgatados no século XIX por Hahnemann, fundador da homeopatia. Paracelso morreu em 1541 em Salzburgo, em circunstâncias misteriosas.

     
Digite aqui seu
E-mail para receber notícias de filosofia!



Se acaso qualquer informação do site estiver equivocada, por favor avise-nos que corrigiremos